destaque02

destaque04

poo-artesiano

 

A falta d´água em algumas regiões brasileiras tem feito com que condomínios busquem alternativas para que o seu abastecimento não fique comprometido. Uma das soluções que os condomínios têm procurado é o poço artesiano, mas que não é uma solução ideal para este caso.

Atualmente, o planeta precisa de que as pessoas utilizem os recursos naturais de forma consciente e o poço artesiano não traz este benefício. O ideal seria o condomínio investir na individualização de hidrômetros e em um sistema de reutilização da água. Estas medidas faz com que cada morador seja mais racional e econômico ao utilizar o recurso hídrico. Mas existem locais em que os poços artesianos surgem como uma saída eficiente para o abastecimento do condomínio.

Veja abaixo algumas informações importantes sobre a perfuração de poços artesianos em condomínios:

– O condomínio deve escolher uma empresa especializada em perfuração de poços artesianos e esta empresa deve realizar a visita ao condomínio e verificar a viabilidade do procedimento. A construção do poço artesiano e a escolha da empresa devem ser feitos através da assembleia de condomínio e por ser uma obra necessária para o condomínio, pode ser aprovada pela maioria simples presente. Ou seja, a metade mais um de presentes na assembleia de condomínio;

– A empresa escolhida para a perfuração do poço artesiano deve possuir um geólogo ou um engenheiro de minas para a execução do projeto e também deve seguir a NBR 12212 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT);

– É preciso que o condomínio solicite ao órgão responsável de seu município uma outorga de perfuração do poço artesiano. No documento deve conter qual a vazão de água que o condomínio pode utilizar. Geralmente, a própria empresa encarregada de realizar a obra de perfuração do poço artesiano faz toda a parte burocrática;

– Para iniciar o processo de perfuração do poço artesiano no condomínio, a empresa responsável deve possuir a licença em mãos. A duração da obra é de, aproximadamente, vinte dias e quando dá certo, uma bomba para retirada da água é instalada. Caso não haja água no local, o processo deve ser novamente realizado e o condomínio deve pagar por um novo procedimento de perfuração;

– A água extraída do poço artesiano deve passar por análise e ser aprovada pela agência responsável pela regulação de seu município. Ou seja, deve ser verificada a possibilidade de sua utilização para beber ou não. Caso seja aprovada a sua utilização, a empresa reguladora fornece a outorga de direito de uso do recurso hídrico. Se for constatado que a água não está apropriada para o consumo, o condomínio deve realizar o tratamento adequado e solicitar uma nova licença;

– Para o consumo d´água ser feito por humanos é preciso que o condomínio solicite o cadastro no Sistema/Solução Alternativa de Abastecimento de Água para Consumo Humano na Vigilância Sanitária estadual ou municipal;

– O condomínio deve realizar anualmente a manutenção preventiva da bomba do poço artesiano. Uma amostra da água deve ser encaminhada ao órgão responsável do município para análise. Caso a água seja potável, a análise deve ser feita a cada três meses;

– O procedimento para a construção de um poço artesiano em um condomínio não é tão simples. É um processo que deve ser bem planejado e que deve ser verificado os seguintes pontos:

  • Qual será o investimento?
  • Como será o processo de economia de água?
  • Qual o tempo para a realização de todo o processo?
  • Existe a garantia de água na perfuração do poço artesiano?
  • Qual a garantia de conseguir a outorga?
  • Existe a possibilidade de secamento do poço?

Notícia Patrocinada por: Condobox

Categorias 

lateral09

lateral14

lateral16

Scroll to top